Luz na mente, Paz na alma!!!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Plantio pelas fases da Lua

Primeiro quarto:Plantas folhudas como repolho, aipo, escarola, espinafre, alface, pepino.
Segundo quarto: Feijão, ervilha, pimenta, tomate, melão, alho, feno, cereais e grãos tanto no primeiro como no segundo quarto.
Terceiro quarto: Plantas bienais e perenes; também raízes, cebola, trigo do inverno, árvores e arbustos.
Último quarto: Não plante nada — em vez disso arranque as ervas daninhas.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Plutão em Capricórnio e a transformação dos valores...

Até o final de sua passagem por Capricórnio, em 2024,  Plutão terá transformado todas as formas estruturadas de uma maneira incorreta?
Revendo a sua passagem por Escorpião, vemos o fascínio pelo sexo, pela liberdade sexual e, em função do abuso, da promiscuidade, a AIDS surge como uma forma de “castigo”... Então seu ingresso em Capricórnio pode nos trazer a certeza de que, para que as organizações, o Estado como um todo sejam finalmente o ideal para a humanidade as mudanças devem acontecer a nível individual uma vez que para mudarmos o mundo, primeiro precisamos efetuar uma mudança interna de valores.
Será já um reflexo desta alteração de valores ditada por plutão o aparecimento de pessoas que possuem um poder de transformar o pensamento das massas, como o grupo
“Jonas Brothers”, alardeando a opção de permanecerem virgens até o casamento?
Além disso, os três irmãos também têm fama de bons moços. Já percorreram os Estados Unidos como integrantes de uma turnê musical antidrogas e evitam ao máximo serem citados em relacionamentos amorosos. Esperemos para ver...

sábado, 6 de novembro de 2010

Porque devemos buscar o autoconhecimento?

"Devido ao constante movimento dos astros no céu, as relações entre os dois círculos, o cósmico e o individual, estão se modificando constantemente. Os centros de energia do círculo cósmico - as constelações, as estrelas fixas e os planetas - e os centros ocultos de poder do círculo individual partem dos padrões idênticos que tinham na hora do nascimento. Depois de transcorrido certo tempo, esses padrões de força dentro desses dois círculos podem aproximar-se outra vez. Por essa razão, na vida de cada pessoa há relacionamentos favoráveis e harmoniosos em certas épocas e relacionamentos desfavoráveis e desarmônicos em outras. Como resultado disso, as pessoas algumas vezes revelam qualidades harmoniosas e positivas, e em outras ocasiões suas qualidades são desarmoniosas e negativas. E, uma vez que o destino é o reflexo do caráter da pessoa e o resultado de suas ações, sua vida assume ciclos favoráveis e desfavoráveis, conforme a ocasião.
          Todas as formas de vida estão sujeitas a essas forças, e unicamente uma criatura tem a possibilidade de governar todas essas energias e forças que atuam por todo o universo, dentro do seu próprio ser e dentro do seu próprio destino. Essa criatura que tem a habilidade de controlar essas forças à sua vontade é o homem. Mas ele apenas pode controlar essas forças quando está consciente de sua existência, quando as reconhece em si mesmo e quando consegue dominá-las!
 Enquanto o homem não reconhece essas energias em si mesmo, ele fica à sua mercê, na mesma medida em que todas as outras formas inconscientes de vida estão diretamente em contato com todas essas forças criativas e são controladas às cegas por elas. Somente o ser humano que atingiu a habilidade de autoreconhecimento está apto a elevar sua consciência acima dessas forças. Em vez de ficar sob seu jugo de modo inconsciente, ele é capaz de controlá-las ou transmiti-las de forma inteiramente transmudada e diferente. Quando o homem pode transmutar as forças criativas que atuam em seu íntimo, é capaz de modificar as forças que influenciam seu destino, portanto, de controlar o próprio destino. (Elisabeth Haich - Iniciação)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

"A humanidade está envolvida na eterna busca daquele 'algo mais' que ela espera vá lhe trazer uma felicidade completa e infindável. Para aquelas Almas individuais que procuram e encontraram Deus, a busca terminou. Ele é aquele algo mais."
Paramahansa Yogananda Man's Eternal Quest

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

RETRÓGRADOS E MAGNETISMO

Nãonada no universo que não possua qualidades magnéticas. Sabe-se que o próprio pensamento atrai pensamento semelhante.
Cada indivíduo tem suas próprias energias magnéticas baseadas inteiramente sobre como é usada a combinação de seu horóscopo planetário. Todas as configurações atraem determinadas coisas e ao mesmo tempo repelem outras. Assim, todo o mundo se encontra numa condição, ao mesmo tempo, positiva e negativa.
No horóscopo individual, alguns planetas estão colocados num ponto de radiação onde constantemente liberam suas energias para o mundo. Outros estão colocados como pontos de absorção através dos quais o indivíduo é capaz de assimilar a compreensão que ele necessita do universo.
Na verdade, a maneira como o indivíduo usa seus planetas é que determinará suas qualidades magnéticas a cada momento, acima e além da qualidade magnética básica do planeta. Portanto, mesmo os planetas que absorvem, podem irradiar, dependendo de como o indivíduo estiver polarizado naquele momento particular.
Quando uma pessoa está com muita energia, além da que necessita no momento, a maioria de seus planetas atua como radiadores e ela se torna um doador para as outras pessoas. Em condições opostas, quando uma pessoa dispõe de menos energia da que necessita para atuar, seus planetas tornam-se receptores, tirando de outros a energia que lhe falta.
O homem possui a habilidade de realmente controlar, de momento a momento, seu próprio campo magnético! Para verificar isto, consideremos o planeta Vênus, que é negativamente magnetizado e geralmente é considerado como um receptor. Mesmo assim, quando o indivíduo tem, através de todos os seus outros planetas, mais energia do que precisa em determinado momento, ele usará seu Vênus para irradiar amor a outras pessoas. O mesmo se aplica a Marte, freqüentemente tido como agressivamente masculino e egocêntrico. Nas mesmas circunstâncias, quando um indivíduo tem mais energia do que necessita, ele usa seu Marte para dar energia aos outros.
Isto acontece com todos os planetas. De momento a momento, e dia a dia, cada planeta é, em parte, radiador e, em parte, receptor.
Para a Astrologia é importante saber até que ponto um planeta exerce domínio sobre outro, em determinado momento da vida de um indivíduo; e o Astrólogo tenta usar sua habilidade da melhor maneira, para ensinar as pessoas como usar seus planetas de ambas as maneiras.
Quando um indivíduo é capaz de usar todos os seus planetas, como receptores ou radiadores, mudando suas polaridades como for necessário, ele não precisa de um estudo de seu horóscopo. Mas raramente isto acontece num estudo de Astrologia. Geralmente, o indivíduo está absorvendo ou irradiando a mais ou a menos na maneira de combinar e harmonizar todas as energias planetárias de seu mapa. Para o leigo, isto é explicado como a existência de problemas pessoais com os quais não sabemos lidar. Para o Astrólogo, é apenas uma polarização de energia magnética e, tão logo se possa fazer o indivíduo entender e desenvolver um controle sobre seu próprio campo de força magnética, muitos de seus problemas pessoais milagrosamente desaparecem!
                                 (Martin Schulman - Planetas retrógrados e reencarnação-pg 15,16)


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Equinócio de Primavera

A duração do dia é a mesma da noite... Equiparam-se as forças da sombra e da Luz! O sol em sua trajetória penetra no signo de Libra, a balança, para trazer às criaturas a busca pelo equilíbrio, a necessidade de calçar as sandálias do outro e caminhar alguns passos antes de proferir qualquer julgamento. Vênus, o planeta do amor, provê o laço unificador entre todos os membros da família humana! As flores desabrocham e soltam seu doce perfume, que penetra até os nossos corações, neles desabrochando o ideal de igualdade e fraternidade. Devido à  presença de Vênus em Escorpião, conjunto a Marte, precisamos realmente olhar o outro como se estivessemos olhando a nós mesmos, pois esta é a pior colocação para o planeta do amor podendo levar-nos à tendências lascivas, glutonaria e a atração por tudo aquilo que mexa com nossas emoções ou que possa deleitar os nossos sentidos. Há que se dominar marte em grau considerável, mantendo-o sob controle, para que possamos suplantar seus traços indesejáveis e  responder perfeitamente aos raios de vênus.

domingo, 22 de agosto de 2010

AS TRÊS REAÇÕES AO IMPULSO EVOLUTIVO

As pessoas tendem reagir às suas necessidades evolutivas e necessidades Kármicas de três maneiras. Estas três possíveis reações determinam como o processo evolutivo irá atuar em nossas vidas. Elas são as seguintes:
1. Resistir totalmente às necessidades evolutivas e Kármica.
2. Responder estusiasticamente e desejar compreender quais as lições desta vida e entregar-se a isto de um modo que não oferece qualquer resistência.
3. Estar disposto a mudar de algumas maneiras, mas contudo resistir a mudar outras dinâmicas por causa do medo do desconhecido.
 A primeira reação é um reflexo do desejo de manter-se separado da Causa Primeira. A segunda é um reflexo do desejo de conhecer a Causa Primeira. A terceira reação é uma combinação de ambos e é a opção mais comum. Mudamos um pouco em cada encarnação. É por isto que a evolução da Alma, a eliminação dos desejos de separação, é um processo muito lento para a maioria das pessoas.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

BlogBlogs.Com.Br

quinta-feira, 3 de junho de 2010

AS QUATRO MANEIRAS PELAS QUAIS PLUTÃO AFETA A EVOLUÇÃO NAS NOSSAS VIDAS

As quatro maneiras fundamentais pelas quais Plutão afeta o processo evolutivo são as seguintes:
1. Produzindo choques emocionais nos quais algum padrão de comportamento, ou situação de vida, é removido à força da nossa vida. Este processo está associado à mudança cataclísmica e produz um "salto" evolutivo. Esta situação sempre ocorre quando temos resistido de tal modo às forças evolutivas cumulativas que este efeito precisa ocorrer a fim de executar o desenvolvimento necessário. Um exemplo clássico é Nixon e o caso Watergate.
2. Criando uma situação na qual formamos um relacionamento com uma coisa que percebemos precisar. Esta "coisa" pode ser qualquer uma: um novo amigo, um novo amor, um conjunto de conhecimentos contido num livro ou seminário, o início de uma nova meta, e assim por diante. A questão aqui é que ao formarmos um relacionamento com algo que simboliza aquilo que julgamos precisar, um processo evolutivo tem lugar. Aquilo que julgamos precisar subentende alguma coisa que ainda não possuímos. Ao formamos um relacionamento com aquela "coisa" nós nos tomamos aquilo que precisamos. O processo psicológico envolvido aqui é o da osmose (Plutão). Quando formamos o relacionamento, absorvemos em nós aquilo que precisamos. Eis um simples exemplo desse processo: você está agora lendo este livro que comprou por ter uma aplicação prática ou por ter lhe parecido interessante. Talvez o título tenha despertado sua curiosidade. Talvez você tenha achado que iria aprender algo que queria aprender. Além deste livro, a astrologia em si, como assunto, teria descrito isso para você. Ao formar um relacionamento com a astrologia ou com este livro, através do processo da osmose, você aprendeu algo que não sabia antes. Ao formar o relacionamento, suas limitações pessoais, sua realidade existente (sua definição e seu conceito de si mesmo), foram encontradas. Os relacionamentos que formamos dessa maneira nos ajudam a trans-mutar-nos, transformar-nos, crescermos e evoluirmos além das limitações existentes alcançando novos níveis de consciência e de autodefinição. Este processo está associado à mudança não cataclísmica; à evolução lenta porém progressiva.
3. Produzindo ou criando situações em nossas vidas nas quais nos tornamos conscientes de alguma fonte externa ou interna de estagnação ou limitação que bloqueia o desenvolvimento ulterior. Este processo é bastante diferente do de número dois, que não envolve qualquer crise particular. Trata-se de um crescimento simples, porém constante. A condição com a qual estamos lidando no processo número três inclui os ciclos ou épocas em que nos tomamos conscientes de um bloqueio interno ou externo que impede o desenvolvimento, e precisamos encontrar a origem do bloqueio. Este processo subentende uma crise com diferentes graus de magnitude. O fato de existir uma consciência do bloqueio não implica ou significa que exista uma consciência da origem ou da fonte no qual ele se fundamenta. É precisamente esta falta de consciência que produz a crise. Este processo pode ter o efeito de mobilizar toda a nossa atenção concentrando-a no bloqueio. Este foco de atenção pode ser tão intenso que tudo o mais na nossa vida é excluído até descobrirmos a origem do bloqueio. Este processo é extremamente semelhante ao do vulcão adormecido que de repente entra em erupção. Em algum ponto ocorrerá uma erupção que tem o efeito de transformar o vulcão e seus arredores. Analogamente, o constante acúmulo de pressão e a singularidade da atenção e do foco de consciência, produzem uma erupção do conteúdo do subconsciente lançando-o na nossa consciência subjetiva. Tomamos consciência, através do conhecimento gerado pela erupção, de qual é o bloqueio. Quando isto ocorre, nós evoluímos porque a origem do bloqueio foi removida. Passamos então a viver de uma maneira nova e transformada por causa dessa evolução cataclísmica.
4. Produzindo ou criando uma situação na qual nos tornamos conscientes de uma nova capacidade ou aptidão até então latente ou adormecida. Este processo é desencadeado, em vários pontos da nossa vida, através de condições internas ou externas que dão origem a um novo impulso, idéia, pensamento ou desejo. O processo de pôr em prática ou desenvolver a nova capacidade cria um efeito evolutivo ou de crescimento. Eis um exemplo simples: o presidente Carter conscientizou-se do seu desejo e percebeu a capacidade de ser presidente quando Plutão transitava o seu Sol em Libra na Décima Segunda Casa. O processo de satisfazer ou tornar real aquele desejo e aquela capacidade certamente produziu nele o desenvolvimento e a evolução pessoal. O processo está associado à mudança não cataclísmica porém requer perseverança e força de vontade para pôr em prática a aptidão percebida.
E importante salientar que esses quatro processos não ocorrem necessariamente como experiências isoladas ou separadas. Um processo pode desencadear ou conduzir a um outro. Um indivíduo pode, por exemplo, torna-se consciente de uma aptidão ou capacidade latente num determinado momento crítico da sua vida. Esta consciência poderá então ser responsável pela descoberta de um bloqueio numa área correlata que poderão então conduzir a uma crise que força a remoção ou a metamorfose desse bloqueio.
As três possíveis reações às necessidades evolutivas e Kármicas descritas anteriormente estão estreitamente ligadas a essas quatro maneiras pelas quais Plutão afeta ou estimula nossas condições evolutivas. Considere, por exemplo, um indivíduo que tenha Plutão em aspecto com todos os outros planetas e que tenha a reação de resistir ao crescimento, à mudança e às condições evolutivas da sua vida. Esta reação poderia claramente "predispor" o indivíduo para o processo evolutivo descrito na condição número um: choques emocionais que conduzem à remoção forçada de padrões ou associações de comportamento, e que como resultado ocasionam um salto evolutivo em virtude da remoção forçada.
Todos temos que tomar decisões na vida. Estas decisões se refletem nos nossos desejos. Os desejos refletem nosso estado evolutivo. A responsabilidade por essas condições é totalmente nossa. Não existem "vítimas". Nixon não foi uma vítima. A situação e a experiência da sua vida refletiam sua condição, suas necessidades e suas lições evolutivas. O mesmo é verdadeiro a respeito de todos nós.
A avaliação da condição evolutiva geral de um indivíduo bem como sua maneira de reagir ao processo evolutivo precisam ser relacionadas com o contexto sócio/político do indivíduo. Esta ponderação sociológica é importante porque os fatores ambientais condicionam a maneira como percebemos a nós mesmo e à vida em geral. Para compreender melhor a condição Kármica, deveríamos determinar por que o indivíduo escolhe o meio em que vive, e por que razões. (O Livro de Plutão - A Jornada Evolutiva da Alma - Jeff Green)

O grande enigma...

Desde a mais remota antiguidade, o homem já voltava sua cabeça para cima a fim de admirar a beleza das estrelas, e pensava: Que mistérios elas devem esconder? Seria pretensão de nossa parte achar que estamos sózinhos no Universo e pensar que os corpos celestes foram criados apenas para deleitar nossa visão. Através do estudo de cada um deles e da forma com que nos influenciam individualmente é que poderemos entender um pouco melhor a humanidade. Sabendo quando e como teremos condições de escolher o melhor desfecho de nossas ações.